96510b8d763eaf3c8e544024f884677b_15983804268398_278721293

Estudos científicos recentes indicam que, possivelmente, a vacinação contra a COVID-19 deverá possuir reforços anuais devido à existência de variantes do coronavírus, a exemplo do que ocorre com a vacinação contra a gripe atualmente. Universidades brasileiras estão, portanto, desenvolvendo diversas pesquisas e atividades de extensão que têm como foco aumentar o conhecimento científico sobre o novo coronavírus, a testagem de vacinas e os impactos da pandemia sobre a saúde da população e a economia.

O cenário mineiro para a pesquisa da vacina é bastante otimista uma vez que a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) trabalha hoje com sete projetos de desenvolvimento de um imunizante. Dentre eles, o imunizante mineiro em estágio mais avançado é a vacina desenvolvida pelo CT-Vacinas, localizado no Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC), que conta com parceria do Instituto René Rachou da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz-Minas).

A vacina mineira Quimera Proteica/Spintec, como é chamada, apresentou 100% de eficácia em camundongos, inclusive para as variantes do vírus. Isso é um resultado de imensa relevância para o contexto que estamos vivendo com novas cepas. A fase atual é a de testagem em primatas, uma das exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A previsão é de que a vacina mineira seja submetida à aprovação da Anvisa em setembro deste ano.

Após aprovação da Anvisa, inicia-se a testagem clínica em humanos que é composta pelas fases I, II e III. A fase III testa a imunogenicidade e eficácia da vacina. A expectativa é de que, havendo êxito nas etapas de testagem, a vacina mineira Quimera Proteica/Spintec passe a ser produzida em escala industrial ainda no primeiro semestre de 2022. A vacina mineira, em desenvolvimento pelo CT-Vacinas da UFMG, é uma das três mais avançadas do País, segundo avaliação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

A vacina mineira está sendo desenvolvida para imunização em 2 doses. Um aspecto importante é que sua tecnologia já prevê a possibilidade de uso em doses de reforço anuais, caso sejam necessárias como vem apontando a ciência. Além disso, a vacina Quimera Proteica/Spintec é desenvolvida a partir de uma tecnologia mais tradicional de produção de imunizantes, o que se traduz em maior segurança para aplicação em seres humanos, menor probabilidade de efeitos colaterais adversos e custo mais baixo por dose.

O custo mais baixo por dose é extremamente importante porque permite maior cobertura vacinal da população. Ou seja, torna possível vacinar mais pessoas com o mesmo investimento. O controle de qualquer doença imunoprevenível – que pode ser evitada através de vacinas – depende do sucesso na cobertura vacinal. Eficiência salva vidas.

A importância de investimentos emergenciais no combate à pandemia e no tratamento dos pacientes com Covid-19 é inegável e também é preciso enxergar um horizonte mais amplo e focar na solução. Por isso, além dos mais de R$ 8 milhões que direcionei para o combate emergencial da pandemia, destinei R$ 2 milhões em emendas parlamentares para a pesquisa da vacina mineira Quimera Proteica/Spintec, em desenvolvimento pela UFMG. Além disso, conduzi a interlocução com a Bancada Mineira no Congresso Nacional que, com grande sensibilidade e responsabilidade, prontificou-se no apoio integral à pesquisa da vacina mineira, inclusive com aporte de recursos.

A vacinação contra a Covid-19 é o caminho mais efetivo para retomar a normalidade, salvar vidas, recuperar empregos e auxiliar no retorno das nossas crianças à escola.

Na íntegra: Jornal O tempo
Foto: Agência Brasil

Cadastre-se para receber em primeira mão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gabinete Laura Serrano

Fone: (31) 2108-5120- (31) 9 9453-6022
dep.laura.serrano@almg.gov.br 

Assessoria: (31) 99367 – 4105 / (31) 99498-5192 

Rua Rodrigues Caldas nº 30, Conj. 228. 2º andar –
Santo Agostinho. CEP: 30190-921. Belo Horizonte-MG